quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

A história de Audrey Hepburn


Ficha Técnica
Título Original: The Audrey Hepburn Story
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 134 minutos
Ano de Lançamento (EUA): 2000
Direção: Steven Robman

Elenco
Jennifer Love Hewitt (Audrey Hepburn)
Frances Fisher (Ella Hepburn)
Keir Dullea (Joseph Hepburn)
Gabriel Macht (William Holden)
Peter Giles (James Hanson)
Emmy Rossum (Audrey Hepburn - 12 aos 16 anos)
Eric McCormack (Mel Ferrer)
Seana Kofoed (Kay Kendall)
Michael J. Burg (Truman Capote)
Joan Copeland (Cathleen Nesbitt)
Marcel Jeannin (Givenchy)
Adam MacDonald (Nick Dana)
Sarah Hyland (Audrey Hepburn - 8 anos)
Vlasta Vrana (Tio Willem)
Bruce Dinsmore (Blake Edwards)
Ray Landry (Humphrey Bogart)
Noël Burton (Cecil Landeau)
Sam Stone (William Wyler)
Sweede Swensson (Gregory Peck)
Ryan Hollyman (George Peppard)
Peter Feder (Billy Wilder)
Tony Robinow (Fred Zinnemann)

Sinopse
O filme narra a vida da atriz Audrey Hepburn.

Meu parecer
Sou viciada em biografias, sejam elas escritas ou filmes. Gosto muito. E como eu sou uma fã de atores clássicos, lá fui eu toda pimposa assistir a biografia de uma das atrizes mais fofas que existem: Audrey Hepburn. Mas... vinte, trinta minutos, quarenta e eu já estava cansada. Cara, muito ruim o roteiro. Chato demais. Eu tinha o filme em duas partes (Santo Emule aí gente), e quem disse que eu conseguia ver a segunda? Sério. Mas, como eu já disse aqui em outras ocasiões, eu sou uma guerreira. Vi a segunda parte, acho que um mês depois. Mas vi. As pessoas tem uma implicância com a Jennifer Love Hewitt. Eu também. Se trocasse ela por uma samambaia talvez ninguém percebesse a diferença. Tá. Tô exagerando. Outra coisa, a Audrey retratada é chatinha pra caramba. Mais uma Pollyanna. E eu também já disse aqui que odeio pollyannas em filmes. A intenção era deixa-la boazinha, mas exageraram tanto nas tintas que ela acabou se transformando numa pessoa fraca e chata. Pecado de todas as biografias, lá vem o clichê, e dessa vez não poderia ser diferente: eles pegaram o fato de Audrey não ter convivido com o pai para fazer deste fato um melodrama. O melodrama de uma vida, com direito ao encontro nas cenas finais. Como se a vida tivesse um início, meio e fim lógicos. Não liguem para essas últimas frases, são viagens minhas. Enfim. Até veja, mas uma vez só.

Nota: **

5 comentários:

M. disse...

Realmente nem todas as biografias conseguem agradar. São poucas que cumprem essa finalidade. Um beijão.

dri disse...

Vi esse, também adoro biografias, mas este é mesmo um pé no saquinho. O bom é que o bonitão que foi o William Holden é o novo Spirit. Quem daria uma boa Audrey no cinema é a Natalie Portman, tem graça, simplicidade e o manequim de Miss Hepburn.

Dauro disse...

Você tem, por um acaso, a legenda?
dauro.moura@gmail.com

giovani disse...

Eu amei o filme, é uma biografia competente com a excelente atuação de Jennifer Love Hewitt que é uma ótima atriz. O roteiro é bem escrito e o filme é bem dirigido. FILMAÇO!

Bruna Mouzinho Magalhães disse...

Sim, só estou vendo este post em 2014!! hehe E hoje, quem daria uma ótima Audrey são Anne Hathaway e Lily Collins, tanto pela aparência física, como pelo jeitinho cativante e pelo fato de serem ótimas atrizes. Adoraria um remake com uma delas!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails