domingo, 8 de março de 2009

Ensaio sobre a cegueira


Ficha Técnica

Título Original: Blindness
Gênero: Drama
Direção: Fernando Meirelles
Roteiro: Don McKellar, baseado em livro de José Saramago
Direção de Arte: Joshu de Cartier


Elenco
Mark Ruffalo (Médico)
Julianne Moore (Esposa do médico)
Yusuke Iseya (Primeiro homem cego)
Yoshino Kimura (Esposa do primeiro homem cego)
Alice Braga (Garota com óculos escuros)
Don McKellar (Ladrão)
Maury Chaykin (Contador)
Danny Glover (Homem com venda preta no olho / Narrador)
Gael García Bernal (Rei de Ward 3)
Susan Coyne (Recepcionista)
Sandra Oh (Ministra da Saúde)
Billy Otis (Criminoso)
Joe Pingue (Motorista de táxi)
Douglas Silva (Pedestre)
César Brasil de Luna (Pedestre)
Alexandre Tigano (Pedestre)


Sinopse

Uma inédita e inexplicável epidemia de cegueira atinge uma cidade. Chamada de "cegueira branca", já que as pessoas atingidas apenas passam a ver uma superfície leitosa, a doença surge inicialmente em um homem no trânsito e, pouco a pouco, se espalha pelo país. À medida que os afetados são colocados em quarentena e os serviços oferecidos pelo Estado começam a falhar as pessoas passam a lutar por suas necessidades básicas, expondo seus instintos primários. Nesta situação a única pessoa que ainda consegue enxergar é a mulher de um médico (Julianne Moore), que juntamente com um grupo de internos tenta encontrar a humanidade perdida.

Meu parecer

Baseado no livro de José Saramago (o cara), o filme mostra o caos que seria se uma epidemia desconhecida tomasse conta do mundo. Meio ficção, meio loucura, faz a gente pensar que a razão é a primeira a ir embora quando não estamos preparados para uma catástrofe de tamanhas proporções.
A primeira coisa que me chamou a atenção foi obviamente a fotografia, muito bem empregada por Joshu de Cartier, que transporta para as telas o branco da cegueira, proposta no roteiro. Os cenários são bem construídos, e os diálogos bem conduzidos por atores brasileiros, americanos e japoneses. Aliás, o filme é uma co-produção destes três países.

Julianne Moore reina absoluta, como sempre, no papel de mulher forte e determinada, e que, por algum motivo desconhecido, não se contamina com a cegueira. Indico.

Nota: ****

3 comentários:

M. disse...

É sem dúvida um grande filme, que até comoveu o autor da obra José Saramago. Meirelles surpreendeu nessa produção digna de importante prêmio. Um ótimo elenco em cena (Gael também incluído, lógico), fotografia, enfim, tudo. Uma história para se compreender sob uma perspectiva crítica e não para assisitir em dias de depressão. Adorei ter visto esse filme também.

Sônia disse...

´
Vou alugar. Sua dica foi muito boa! Vale a pena ver um filme dirigido pelo Fernando Meirelles. Não se esqueça do "Volver" do Almodóvar. Meu namorado não gosta de assistir muito filmes que não sejam americanos. Quem sabe dando a sua impressão sobre o filme...ele não se interesse em assistir. Pelo menos, meu namorado começe a ver algum filme que não seje de ação ou de guerra.

Vi outro filme, muito legal chamado " Um casamento à Indiana". Vi por causa da novela global ( Acho que não preciso mencionar o nome). Achei o filme super interessante. Diferente de tudo o que eu já vi. Eu recomendo que vc veja!

Pedro ( namorado de Sônia) disse...

Será que vc pode comentar o filme Tropa de Elite no seu blog. Vi este filme várias vezes. É maneiro!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails